Confea/Crea e Mútua

Sociedade

Profissionais

Estudantes

Imprensa

Depoimentos

Nova carteira profissional

 

 

"É o Sistema no século XXI. Vamos mudar de um documento de identidade de papel para um documento de alta tecnologia. Esta será a única carteira de ‘smart card’ com foto colorida e QR Code, por meio do qual será possível acessar os dados profissionais a partir de um celular”, detalha o presidente do Confea, eng. civ. José Tadeu da Silva, ao explicar como é a nova carteira dos profissionais registrados no Sistema Confea/Crea. 

72ª Semana Oficial da Engenharia e da Agronomia

"A Engenharia e a Agronomia dependem essencialmente da ciência e, portanto, da tecnologia", diz o coordenador do Congresso Técnico e Científico da Engenharia e da Agronomia (Contecc), José Geraldo Baracuhy defendendo que o profissional tem que estar atualizado para servir à sociedade com novos conhecimentos e ferramentas.

72ª Semana Oficial da Engenharia e da Agronomia

"É uma ambição reunir 4 mil profissionais. E o Confea e o Crea conseguiram!", comemora o coordenador do Colégio de Presidentes, Marco Amigo. Segundo ele, os participantes estão engajados no processo de construção do país.

72ª Semana Oficial da Engenharia e da Agronomia

"A Semana Oficial da Engenharia e da Agronomia (Soea) permite trazer vários profissionais de várias partes do Brasil, discutindo vários temas, o que já é uma contribuição porque as teses daqui serão condensadas na Carta de Fortaleza, a ser levada para os políticos", afirma o coordenador do Colégio de Entidades Nacionais, Jorge Nei Brito, durante a 72ª edição da Soea realizada em Fortaleza de 15 a 18 de setembro de 2015.

II Encontro Nacional de Agronomia

“O II Encontro Nacional de Agronomia é promovido pelo Sistema Confea/Crea e Mútua com objetivo de dialogarmos sobre procedimentos para o exercício profissional desta valorosa  atividade. Certamente que vocês compreendem a importância estratégica da agronomia para o cenário nacional, haja vista que o setor agropecuário tem sido superavitário no último decênio na balança comercial brasileira.”


Conselheiro federal, eng. agr. Mário Amorim, durante II Encontro Nacional de Agronomia, em Foz do Iguaçu, entre 4 e 7 de agosto de 2015.

II Encontro Nacional de Agronomia

“Esses dois encontros simultâneos [II Encontro Nacional de Agronomia e XXIX Congresso Brasileiro de Agronomia] são muito importantes para a sociedade brasileira, considerando que os temas discutidos pelos profissionais da agronomia são interessantes. Entre os temas, estão a fiscalização das atividades profissionais, a mecanização agrícola, a assistência técnica e extensão rural, que dizem respeito às atribuições do profissional junto às propriedades rurais e aos pequenos agricultores. Sabemos que a agronomia é uma profissão importantíssima porque é por meio da adoção de novas tecnologias que as propriedades rurais e os grandes empresários põem alimentos na mesa dos brasileiros.”

Conselheiro federal, eng. agr. Célio Moura, participante do II Encontro Nacional de Agronomia

II Encontro Nacional de Agronomia

“A pauta educação é nosso dever enquanto Conselho Federal. Estamos preparando os novos egressos para se colocarem neste campo da agronomia brasileira. Estamos com um tema novo que iremos abordar durante o Encontro Nacional de Agronomia. Trata-se de acreditação dos cursos de graduação que o Sistema abrange. Foi um trabalho solicitado pelo presidente do Confea, José Tadeu, para a Comissão de Educação e Atribuição Profissional (Ceap) pensar em como fazer. É uma tarefa nova. Estamos estudando como fazer isso. Por que não o Conselho Federal também fazer a divulgação dos melhores cursos, aqueles cursos que merecem o selo de qualidade do Conselho para que a sociedade e aqueles pretensos egressos possam entrar na universidade sabendo a qualidade que tem aquele curso?”

Conselheiro federal, eng. agr. Geraldo Baracuhy, participante do II Encontro Nacional de Agronomia

Seminário temático: setores de atendimento dos Creas 2015

Estou há dez anos no Crea-PR, nos setores de atendimento e de protocolo, e não conhecia o Confea. Achei o Seminário Temático: Setores de Atendimento dos Creas bem interessante porque conhecemos a forma de lidar em atendimentos on-line, por telefone e presencial. Só o público é que não muda, por isso, toda informação é importante, neste feedback, que é um trabalho que pode ser unificado, que é diferente, apesar de embasado nas resoluções.

Leônidas Camilo Jr, representante do setor de atendimento do Crea-PR

 

Seminário temático: setores de atendimento dos Creas 2015

Estou há 14 anos no Crea-PI, há seis no setor de atendimento.Já conhecia o Confea, mas o seminário de atendimento possibilita integar com os outros regionais. Cada um tem seus procedimentos, e acredito que seja possível unificá-los. Essa divisão em setores para apresentar as demandas de cada um foi uma ideia muito boa.

Milena Alves Araújo, representante do setor de atendimento do Crea-PI

SEMINÁRIO TEMÁTICO: SETORES DE ATENDIMENTO DOS CREAS 2015

Trabalho no atendimento há 29 anos e até já havia conhecido o prédio novo, em um treinamento sobre a Resolução 336. Mas agora pude conhecer o prédio mais ainda, e tive uma outra imagem sobre o funcionamento do Confea. Além disse, o seminário foi muito bom.

Rita de Fátima Sousa Rosa, representante da equipe de atendimento do Crea-ES


 

Seminário Temático: setores de atendimento dos Creas 2015

Para o atendimento, conhecer toda essa estrutura administrativa é essencial. E torço por uma padronização dessas informações, considerando que temos experiências diferentes, como no nosso caso em que temos poucos atendimentos em relação a outros Creas.

Danielle Silva Borges, representante do atendimento do Crea-RR.

Seminário Temático: setores de atendimento dos Creas 2015

Achei incrível este seminário para quem faz o atendimento. Tenho 11 anos de Crea, três no atendimento. Em geral, cada Crea fica a critério das suas demandas, então acho importante ter um padrão, uma referência. Daí a importância dessa troca de experiênciais ter uma sequência.

Faustiana Santiago, gerente do departamento de Atendimento do Crea-GO

SEMINÁRIO TEMÁTICO: GERÊNCIA DA FISCALIZAÇÃO

Já participei do evento em 2012, e temos promovido um rodízio para oportunizar que todos participem. Assim, estamos proporcionando que todos tenham uma visão da realidade dos regionais, ouvindo pessoas experientes e que possibilitam uma boa troca de informações entre as entidades.

Eng. Amb. Joan Ébano, subgerente de fiscalização do Crea-PB


SEMINÁRIO TEMÁTICO: GERÊNCIA DA FISCALIZAÇÃO

Gostaria de parabenizar o Confea por este evento, os debates são oportunos. Esse tipo de debate transcende esses dois dias porque é a oportunidade de trocar informações com os colegas e fazer ações de benchmarking. Devemos, nos próximos, trazer cases de sucesso e as dificuldades encontradas e também retomar os encontros jurídicos dos regionais para que a gente não seja impedido de fazer fiscalizações.

Eng. Mec. Guilherme Rodrigues, gerente de fiscalização do Crea-MG

 

SEMINÁRIO TEMÁTICO: GERÊNCIA DA FISCALIZAÇÃO

Foi muito importante esse trabalho da Ceep, mas acredito que deveríamos ter mais discussões em torno das atividades do cotidiano, apresentando casos práticos para tentar resolvê-los em conjunto. As palestras e as presenças dos conselheiros são importantes, mas a discussão dos casos práticos são ainda mais.

Rafael Vanderley, agente de fiscalização do Crea-AL

SEMINÁRIO TEMÁTICO: GERÊNCIA DA FISCALIZAÇÃO

Foi um seminário importante como uma nivelação para que todos nós falemos a mesma linguagem, possibilitando uma troca de experiências e contando com o apoio jurídico, que considero fundamental para que saiamos com o mesmo discurso e fortaleçamos as ações de fiscalização em campo.

Eng. Quím. Daniele de Castro, chefe de fiscalização do Crea-PE


SEMINÁRIO TEMÁTICO: GERÊNCIA DA FISCALIZAÇÃO

Acredito que este seminário promove um elo com os gerentes e fiscais, que possibilita a troca de experiências. Achei importante o debate sobre a Resolução 1.047, uma questão que foi levada para a ponta, pelo nosso Regional, por meio da divulgação na mídia.

Eng. Civ. e Seg. Trab. Antônio César Pereira, gerente de fiscalização do Crea-PB


TREINAMENTO NACIONAL DE FISCALIZAÇÃO

“Esse tipo de evento é muito bom para que se possa interagir com outros fiscais dos Regionais e esclarecer dúvidas sobre a fiscalização e também para que possamos colocar nosso ponto de vista e tentar uniformizar os procedimentos em todos os Regionais.”

Daiane Andrade – Crea-AP

TREINAMENTO NACIONAL DE FISCALIZAÇÃO

“É o primeiro evento nesse sentido que participo aqui no Confea  e, mesmo a Agronomia pautando boa parte das discussões, foi possível contemplar todas as áreas. Essa troca é muito interessante e penso que deveria ter um espaço oficial - permanente e sempre atualizado -  para que as práticas de fiscalização de várias modalidades sejam compartilhadas entre os Creas.”

Luiz Carlos Ferreira – Crea-SC


TREINAMENTO NACIONAL DE FISCALIZAÇÃO

“O evento foi interessante, acrescentou muito à rotina dos fiscais para podermos difundir os temas debatidos com outros colegas. No Pará, somos 28 fiscais e a ideia é levar essas informações para os quatro Regionais. Durante o treinamento,  foram trocadas informações sobre como cada Estado atua, com o objetivo de uniformizar os procedimentos.”

Andrejev Souza - Crea-PA


ENCONTRO NACIONAL DE ENGENHARIA MECÂNICA E METALÚRGICA

“Esse evento teve um grande mérito de reunir os engenheiros do Brasil inteiro nessas modalidades, e a discussão sobre a legislação que nos atinge, que nos afeta, ela é de extrema importância. O grande destaque aqui foi o enfoque no ensino à distância dos cursos de Engenharia, um tema que vai se tornar corrente nos próximos tempos, porque ele está avançando bastante no Brasil e se for muito bem feito será um grande avanço, será uma democratização do ensino. Mas o sistema deverá ser vigilante para que a qualidade seja mantida”.

Eng. ind Marco Antônio Polli, participante do Encontro Nacional da Engenharia Mecânica e Metalúrgica

ENCONTRO NACIONAL DE ENGENHARIA MECÂNICA E METALÚRGICA

“Acho o evento importantíssimo, existe um inter-relacionamento entre os profissionais da modalidade e entendemos que o que foi importante do evento foi a parte da legislação e a da inspeção veicular. Em relação à inspeção veicular, entendo que assim que estiver regulamentada em todos os estados, vai auxiliar os profissionais na área de mecânica e vão poder atuar nessa atividade.”

Eng. mec. Adelar Cazaroto, participante do Encontro Nacional da Engenharia Mecânica e Metalúrgica

ENCONTRO NACIONAL DE ENGENHARIA ELÉTRICA

“Um evento fantástico, no sentido que oportuniza o Brasil, para que [os conselheiros regionais] tragam as situações vivenciadas no dia a dia, de tal forma que o Confea tenha a oportunidade de conhecer todos os problemas e interferências externas que vão interferir no objetivo central do Sistema, que é defender a sociedade”

Eng. eletric. Eduardo Góes, participante do Encontro Nacional de Engenharia Elétrica

ENCONTRO NACIONAL DE ENGENHARIA MECÂNICA E METALÚRGICA

“É uma grande oportunidade que o Sistema Confea/Crea proporciona a esse grupo de profissionais. Neste encontro nós tivemos a oportunidade de conhecermos como funciona o processo de ensino à distância, ficamos tão empolgados com o tema que estamos sugerindo que esse assunto seja tradado na Semana Oficial da Engenharia e da Agronomia [72ª Soea]. Uma outra coisa que a gente também tornou diferente nesse evento é conhecer as boas práticas que também o Crea tem, nós temos muitas coisas para melhorar, mas temos algumas coisas que alguns Creas fazem que podem dizer, eu estou fazendo muito bem isso, e posso ser modelo Acho que está sendo um evento muito proveitoso e estou muito feliz em participar e coordenar esse trabalho.

Eng. mec. Oswaldo Paiva, coordenador das Câmaras Especializadas de Engenharia Industrial

ENCONTRO NACIONAL DE ENGENHARIA ELÉTRICA

"O evento, até pela ansiedade dos nossos colegas eletricistas, está sendo realizado em um momento muito oportuno, por esse aspecto e também pelo aspecto da crise energética que nós vivemos hoje no país. Então é um evento que está sendo proveitoso e esperamos que não pare por aqui, que haja uma evolução dessa discussão mais à frente. Falar de Engenharia Elétrica hoje no Brasil por vários aspectos é importante, pois é uma modalidade que representa para o progresso do país uma fase e uma função importante e até pelo momento que o país atravessa”.

Eng. eletric. José Amaro, participante do Encontro Nacional da Engenharia Elétrica

ENCONTRO NACIONAL DE ENGENHARIA ELÉTRICA

“Como já é dito há muito tempo, o Sistema Confea/Crea e Mútua tem trabalhado na busca da autoridade da Engenharia nacional, e esse momento é oportuno para que os engenheiros eletricistas, reunidos num encontro nacional com representantes de todo o país, venham realmente discutir essa nossa situação atual. Estamos passando por uma situação de escassez de água e de energia e a [Engenharia] Elétrica está na vanguarda da geração de energia do país. Dessa forma, muito importante, agradecemos muito ao Confea por ter organizado esse encontro e de ter proporcionado para que os profissionais venham dar as suas contribuições para a melhoraria do nosso país. O engenheiro é a base do crescimento da nação, os engenheiros eletricistas têm uma visão muito ampla, pois somos aplicados em todas as áreas, nossa presença está em todas as áreas, em todas as modalidades. Dessa maneira, a Engenharia Elétrica quer é contribuir.”

Eng. eletric. Alfredo Marques Diniz, coordenador das Câmaras Especializadas de Engenharia Elétrica

ENCONTRO NACIONAL DE GEOLOGIA E ENGENHARIA DE MINAS

“O evento foi muito bom para a interação e integração das modalidades. Nós vamos levar para Brasília uma preocupação marcante que é justamente a discussão sobre a nova legislação dos recursos minerais brasileiros. O projeto está no Congresso Nacional e o Confea e todos os Creas do Brasil dando forças para nossas entidades de classe e à Federação Brasileira de Geólogos para discutir com os deputados uma nova lei para a mineração e geologia brasileiras, de forma que a sociedade seja auspiciosamente contemplada”.

Geól. João César, participante do Encontro Nacional da Geologia e Engenharia de Minas

ENCONTRO NACIONAL DE GEOLOGIA E ENGENHARIA DE MINAS

“Eu avalio positivamente, porque pudemos trazer todos os colegas da nossa Câmara, e não ficar baseado apenas nos representantes. Então todo mundo pode ter sua voz. Mesmo que você seja um coordenador e que vá representar, muitas vezes, no calor da discussão, algumas coisas surgem que você não tinha discutido antes. Então [este encontro] permite que cada um dê a sua opinião e, com isso, contribua para a melhoria do Sistema. Eu destacaria a questão da fiscalização na área de Engenharia de Minas. Como as minas são remotas, o destaque é colocarmos uma fiscalização para todos os Creas do Brasil de maneira que seja igual para todos. Para mim, esse foi o ponto mais positivo, em que todos puderam opinar”

Eng. Minas José Batista, participante do Encontro Nacional da Geologia e Engenharia de Minas

ENCONTRO NACIONAL DA GEOLOGIA E ENGENHARIA DE MINAS

“Neste Encontro Nacional nós conseguimos dar voz aos conselheiros regionais, que estão lá trabalhando na base, fazendo seus relatos, discutindo as questões e que só falavam através de seus representantes. Neste evento, eles falaram diretamente, nós pudemos discutir questões importantes como, por exemplo, o novo Marco Regulatório Nacional da Mineração. Em relação ao Marco, nós discutimos e reafirmamos nossa posição de que o Código de Mineração é bom. Ele precisa ser atualizado, aperfeiçoado, mas acreditamos que ele tem bastantes benefícios, e que as questões administrativas, como a criação da agência e do conselho nacional e a mudança de alíquotas da CFem [Compensação Financeira pela Exploração de Recursos Minerais] podem ser feitas separadamente da discussão, por exemplo, do direito de prioridade à lavra. Então, nós queremos que seja uma reflexão e que seja feita a melhor legislação possível para o setor. Essa discussão nós vamos expressar na Carta do Rio de Janeiro e o Confea vai fazer chegar até a comissão especial que está discutindo a questão do Marco Regulatório. Nós esperamos que tenha repercussão e que os profissionais da área, geólogos e engenheiros de minas, sejam ouvidos nessa discussão”.

Eng. Minas José Margarida da Silva, coordenador das Câmaras Especializadas de Geologia e Engenharia de Minas

Depoimento Genivaldo Matos (Crea-AL) durante 1º Seminário de Fiscalização

“Considero um dos melhores eventos do Sistema de que participei por debater  a  fiscalização, assuntos inerentes ao nosso trabalho. Os temas aqui debatidos são condizentes com a realidade da fiscalização. Destaco também a participação dos colegas de outros Estados compartilhando informações e as soluções jurídicas apresentadas pela Assessoria Jurídica do Confea. Outro ponto positivo foi o foco na agronomia, uma reivindicação antiga de todos os Creas.”
Depoimento Genivaldo Matos (Crea-AL) durante 1º Seminário de Fiscalização do Sistema Confea/Crea e Mútua

Novos conselheiros

"Venho trazer um pouco da minha experiência como ex-presidente do Crea-PB, para poder, junto aos meus colegas conselheiros, ajudar a modernizar o Conselho Federal. Tenho muita esperança de que com o pouco do meu conhecimento e da experiência que trago para esta Casa, possamos qualificar melhor nossos serviços, na desburocratização da nossa máquina. Estamos aqui para ser um facilitador do Sistema Confea/Crea e Mútua. 

Uma organização hoje só tem vida se ela tiver um planejamento. Nós estamos pensando em reativar, por exemplo, nosso planejamento estratégico, com uma visão de futuro para os próximos anos, até 2022. Dentro dessa visão, a gente com certeza poderemos colocar coisas importantes, como uma revolução na área de Tecnologia da Informação dentro do Conselho para que os processos possam caminhar com mais fluidez." Eng. Civ. Paulo Laércio Vieira, conselheiro federal pelo estado da Paraíba.


Novos conselheiros

"Fazer o mais simples possível e defender o profissional da Engenharia" - esse é o objetivo do recém-empossado conselheiro federal Lucio Antonio Ivar do Sul, representante dos engenheiros eletricistas do Distrito Federal.

Novos conselheiros

"Nós nos preparamos durante o período de eleição para conselheiro federal e analisamos, estudamos os decretos e resoluções do Confea e acreditsamos que nos próximos três anos faremos um trabalho muito releveante, haja vista a importância do Confea no cenário da engenharia nacional, considerando também a importância das comissões existentes, com relação às atribuições profissionais, com relação à ética e ao exercício profissional... Então, nossa expectativa é muito positiva para os próximos três anos. É um trabalho incessante haja visto o número pequeno de conselheiros federais" - Eng. agr. Célio Moura (Crea-CE), sobre seu novo mandato como conselheiro federal.

Novos conselheiros

"A experiência adquirida nos últimos anos como presidente do Crea-PA por três mandatos certamente irão facilitar meu trabalho como conselheiro federal. Foi uma oportunidade que tive de conhecer melhor os problemas enfrentados pelos nossos profissionais no desempenho de suas atividades. Como o Conselho Federal é um órgão que gera os normativos em que os Creas utilizam para suas atividades, estou com muita esperança de que essa experiência que estou trazendo para cá possa contribuir positivamente na melhoria desse normativo e consequentemente melhorar o trabalho dos profissionais" - Eng. agr. Antônio Carlos Alberio (Crea-PA), sobre seu novo mandatao como conselheiro federal.

4º Encontro de Líderes Representantes do Sistema Confea/Crea e Mútua

“A vantagem deste encontro é que consegue reunir todos os Creas. Já estamos com 14 pontos de ação, com destaque para a relação do Sistema com o MEC para atualizar os cursos em função das novas tecnologias. Nós temos também o ensino à distância e ainda outras ações como a Resolução nº 1.010, que ainda não está definida. Então, temos que rever estes assuntos”. - Coordenador Nacional das Câmaras Especializadas de Engenharia Civil (CCEEC), eng. civ. João Luís de Oliveira Collares, durante o 4º Encontro de Líderes Representantes do Sistema Confea/Crea e Mútua, realizado em Brasília, de 26 a 28 de fevereiro.

4º Encontro de Líderes Representantes do Sistema Confea/Crea e Mútua

“Obviamente, é um encontro muito importante, porque a Agronomia pode interagir com os presidentes de Creas, de entidades nacionais e regionais, em uma pauta que interessa a todas as profissões do Sistema. Uma pauta de uma agenda parlamentar que tenha um efetivo acompanhamento do Conselho. Uma pauta em que o sistema profissional tenha uma integração com o sistema educacional e ainda uma fiscalização integrada da agronomia com outras áreas”. - Coordenador Nacional das Câmaras Especializadas de Agronomia (CCEAGRO), eng. agr. Kléber dos Santos, durante o 4º Encontro de Líderes Representantes do Sistema Confea/Crea e Mútua, realizado em Brasília, de 26 a 28 de fevereiro.

4º Encontro de Líderes Representantes do Sistema Confea/Crea e Mútua

“O evento reúne as maiores lideranças do Sistema e é um fórum que vai definir as políticas dos profissionais da área tecnológica para o Brasil, ainda mais no momento da crise hídrica e da crise energética. Vamos tentar aprovar no plenário o novo conteúdo mínimo do curso de especialização em Georreferenciamento de Imóveis Rurais, o que vai atender a uma demanda da nossa modalidade”. - Coordenador Nacional das Câmaras Especializadas de Engenharia de Agrimensura (CCEEAGRI), eng. agrim. Francisco de Sales Vieira de Carvalho, durante o 4º Encontro de Líderes Representantes do Sistema Confea/Crea e Mútua, realizado em Brasília, de 26 a 28 de fevereiro.

4º Encontro de Líderes Representantes do Sistema Confea/Crea e Mútua

“Este encontro anual é o momento de a gente fazer o apanhado da situação atual, em relação ao que foi planejado no passado para fazer os redirecionamentos daquilo que está acontecendo. Hoje nosso país demonstra muitas oportunidades, numa época em que a engenharia, como a disciplina de planejamento e estruturação, tem importância vital. Trataremos temas como água, energia e outros fatores que afetam a engenharia do país”. - Coordenador Nacional das Câmaras Especializadas de Engenharia Elétrica (CCEEE), eng. eletric. Alfredo Marques Diniz, durante o 4º Encontro de Líderes Representantes do Sistema Confea/Crea e Mútua, realizado em Brasília, de 26 a 28 de fevereiro.

4º Encontro de Líderes Representantes do Sistema Confea/Crea e Mútua

“Estamos tendo a oportunidade de atualizar as nossas demandas para a proteção da sociedade. Trabalhamos em cima das demandas que estão ocorrendo e também, de certa forma, fazendo uma revisão e atualização de documentos e procedimentos internos, tais como sombreamentos nas próprias modalidades da engenharia e em outros conselhos”. - Coordenador Nacional das Câmaras Especializadas de Engenharia Industrial (CCEEI), eng. mec. Oswaldo Paiva Almeida Filho, durante o 4º Encontro de Líderes Representantes do Sistema Confea/Crea e Mútua, realizado em Brasília, de 26 a 28 de fevereiro.

4º Encontro de Líderes Representantes do Sistema Confea/Crea e Mútua

“A importância é a reunião dos líderes para uniformizar os procedimentos e o andamento para o ano de 2015. Para este ano, temos propostas para continuar reforçando a engenharia química como uma modalidade importante dentro da estrutura do Confea e dos Creas e para ampliar a participação dos engenheiros químicos dos diversos estados dentro dos Creas”. - Coordenador Nacional das Câmaras Especializadas de Engenharia Química (CCEEQ), eng. quím. Luiz Eduardo Caron, durante o 4º Encontro de Líderes Representantes do Sistema Confea/Crea e Mútua, realizado em Brasília, de 26 a 28 de fevereiro.

4º Encontro de Líderes Representantes do Sistema Confea/Crea e Mútua

“Este evento é importante para que as lideranças discutam propostas e planos de trabalho para 2015. Nossa proposta é harmonizar para que sejam discutidas profundamente as nossas atribuições a fim de que se chegue a consenso para as atividades dos geólogos, engenheiros geólogos e engenheiros de minas”. - Coordenador Nacional das Câmaras Especializadas de Geologia e Engenharia de Minas (CCEGM), eng. minas José Margarida da Silva, durante o 4º Encontro de Líderes Representantes do Sistema Confea/Crea e Mútua, realizado em Brasília, de 26 a 28 de fevereiro.

4º Encontro de Líderes Representantes do Sistema Confea/Crea e Mútua

“O evento é muito importante porque podemos planejar as atividades do decorrer do ano com as lideranças. Nossa coordenadoria é a mais nova, está no seu terceiro ano, então uma das nossas metas é conseguir representantes nos Creas onde não há câmaras e, com isso, tentar melhorar a fiscalização, principalmente em torno dos leigos exercendo a nossa profissão”. - Coordenador Nacional das Câmaras Especializadas de Engenharia Florestal (CCEEF), eng. ftal. Glauber M. Sumar Pinheiro, durante o 4º Encontro de Líderes Representantes do Sistema Confea/Crea e Mútua, realizado em Brasília, de 26 a 28 de fevereiro.

4ºEncontro de Líderes Representantes do Sistema Confea/Crea e Mútua

“Em 2015, pretendemos dar continuidade aos processos levantados pela última coordenação e trabalhar para melhorar a interface de todos os Creas com a responsabilidade da ética. Grande parte do problema ético é que os profissionais não são conhecedores da legislação. Temos que apresentar essas responsabilidades e as penalidades e, lógico, as consequências do seu não cumprimento”. - Coordenador Nacional de Comissões de Ética dos Creas (CNCE), eng. eletric. e eng. seg. trab. Jovanilson Faleiro de Freitas, durante o 4º Encontro de Líderes Representantes do Sistema Confea/Crea e Mútua, realizado em Brasília, de 26 a 28 de fevereiro.

4º Encontro de Líderes Representantes do Sistema Confea/Crea e Mútua

“Nós renovamos o Colégio de Presidentes, aprovamos e discutimos as demandas do Conselho Federal, e agora trabalharemos em torno daquilo que são os problemas mais importantes no momento, como os questionamentos feitos pela sociedade à engenharia e os problemas estruturais do Sistema Confea/Crea, como a ART e os problemas estruturais que nós temos, em que nem todos os Creas têm acesso linear aos recursos. São temas que levam respostas ao Conselho e às demandas da sociedade”. - Coordenador do Colégio de Presidentes (CP), eng. mec. Marco Antônio Amigo, durante o 4º Encontro de Líderes Representantes do Sistema Confea/Crea e Mútua, realizado em Brasília, de 26 a 28 de fevereiro

4º Encontro de Líderes Representantes do Sistema Confea/Crea e Mútua

“Nós temos a oportunidade neste 4º Encontro de trocar experiências do que está acontecendo, o que vem sendo implantado nos nossos estados e trazido para cá. Podemos então colocar essas experiências nos outros Regionais. E agora com a nossa comissão temática de Novos Engenheiros, queremos mostrar para o recém-formado a importância de ele estar inserido no Sistema Confea/Crea e Mútua.” - Coordenador Nacional do Crea-Jr, Ary Santana, durante o 4º Encontro de Líderes Representantes do Sistema Confea/Crea e Mútua, realizado em Brasília, de 26 a 28 de fevereiro.

4º Encontro de Líderes Representantes do Sistema Confea/Crea e Mútua

“Este ano o foco é o fortalecimento das entidades. Hoje ouvimos a promessa do presidente José Tadeu sobre um aporte de recursos significativo, por meio da captação de patrocínios para a exposição a ser realizada na Semana Oficial da Engenharia e da Agronomia, que seriam repassados diretamente para as entidades. Sem dúvida, foi uma grande sacada que nos ajudará bastante” - Coordenador do Colégio de Entidades Nacionais (Cden), eng. mec. Jorge Nei Brito, durante o 4º Encontro de Líderes Representantes do Sistema Confea/Crea e Mútua, realizado em Brasília, de 26 a 28 de fevereiro.

4º Encontro de Líderes Representantes do Sistema Confea/Crea e Mútua

“Uniformizar os procedimentos de fiscalização; padronizar as atribuições da engenharia de segurança do trabalho nas ARTs; promover intercâmbio com o plenário federal; registrar cursos de engenharia de segurança do trabalho, inclusive à distância, e ampliar a divulgação do E-social, programa criado pelo Governo Federal, que pode abrir um grande campo de trabalho nas empresas, estão entre as nossas metas prioritárias” - Coordenador Nacional das Câmaras Especializadas de Engenharia do Trabalho (CCEEST), eng. seg. trab. Nelson Agostinho Burille, durante o 4º Encontro de Líderes Representantes do Sistema Confea/Crea e Mútua, realizado em Brasília, de 26 a 28 de fevereiro.

 

Reunião Inserção Internacional do Sistema Confea/Crea, São Paulo (SP)

“A inserção internacional é mandatória porque o mundo não tem mais muros nem fronteiras. O conhecimento também é sem fronteiras e a socialização da informação é muito grande. Então, o Confea – como o maior conselho de fiscalização profissional do mundo – tem mais do que nunca de sair na frente para fazer essa inserção internacional, inclusive como forma de proteção do exercício profissional dos registrados.” – Vice-presidente do Confea, conselheira federal e engenheira eletricista Ana Constantina Sarmento, durante a Reunião Inserção Internacional do Sistema Confea/Crea, realizada no dia 31 de janeiro de 2015, em São Paulo (SP).

Reunião Inserção Internacional do Sistema Confea/Crea, São Paulo (SP)

“Um evento desta natureza é da maior importância notadamente porque estamos vivendo num mundo globalizado, em que estamos recebendo profissionais de outros países, da mesma forma que nossos profissionais estão prestando sua contribuição em outras nações. Então, neste momento em que isso vem acontecendo e que a tendência é de esse intercâmbio aumentar, nada melhor do que os países encontrarem uma saída para que, dentro dos limites de suas legislações, possam facilitar a mobilidade dos profissionais pelos países. É claro que os assuntos não se esgotam em uma reunião de um dia, por isso eu acredito que este encontro seja o primeiro de muitos que o nosso Sistema Confea/Crea irá promover. Somente com a continuação dessas iniciativas e com a busca de novas experiências sobre regulamentação profissional é que nós poderemos nos preparar e, assim, teremos em um futuro relativamente próximo uma proposta concreta a ser oferecida aos países irmãos.” – Conselheiro federal, engenheiro agrônomo Antônio Carlos Albério, durante a Reunião Inserção Internacional do Sistema Confea/Crea, realizada no dia 31 de janeiro de 2015, em São Paulo (SP).

Reunião Inserção Internacional do Sistema Confea/Crea, São Paulo (SP)

“Esta reunião que está sendo realizada hoje é uma primeira etapa que permite que os representantes dos países saibam como é a repartição de competência legislativa, se existe nas outras nações registro de acervo técnico e anotação de responsabilidade técnica. Enfim, essa primeira fase é de conhecimento que irá levar ao segundo momento, no qual será elaborado um currículo mínimo para que cada país entenda que aquele profissional é habilitado. A proposta é gerar efeitos práticos para esses profissionais que desejam mobilidade pelos países.” – Conselheiro federal, engenheiro civil Leonides Alves Neto, durante a Reunião Inserção Internacional do Sistema Confea/Crea, realizada no dia 31 de janeiro de 2015, em São Paulo (SP).

Reunião Inserção Internacional do Sistema Confea/Crea, em São Paulo (SP)

“Esta Reunião Inserção Internacional, promovida pelo Confea, é uma iniciativa contemporânea do Conselho Federal. Está sendo dada continuidade ao diálogo sobre o aperfeiçoamento das legislações dos países signatários da Comissão de Agrimensura, Agronomia, Arquitetura, Geologia e Engenharia para o Mercosul no que diz respeito à mobilidade e inserção dos profissionais. A questão do exercício do estrangeiro no Brasil e do brasileiro nos países da Ciam está sendo dialogada aqui para encontrarmos possibilidades legais e técnicas na plenitude do exercício profissional. Entendemos que esse diálogo é bastante oportuno porque vai refinando e promovendo a convergência entre os países signatários para que os profissionais possam ser recepcionados nos países de maneira mais adequada. Esta reunião é importante tanto para os conselheiros mais experientes quanto para os recém-empossados, pois facilitará o entendimento e a interpretação das leis de regulamentação profissional em outros países. Também irá ajudar os conselheiros que representam o Sistema nos debates da Ciam.” – Conselheiro federal, engenheiro agrônomo Mario Amorim, durante a Reunião Inserção Internacional do Sistema Confea/Crea, realizada no dia 31 de janeiro de 2015, em São Paulo (SP).

Reunião Inserção Internacional do Sistema Confea/Crea, São Paulo (SP)

“O sistema educacional do nosso País tem evoluído de maneira muito rápida, mais rápida do que nós pensávamos. Por isso, uma reunião deste porte é de suma importância porque nos permite ter uma noção de direção para onde deveremos nortear os trabalhos do Conselho Federal de Engenharia e Agronomia junto ao Ministério da Educação sobre questões como o ensino a distância e o grande número de cursos de engenharia que são abertos no País, são assuntos que estão nos preocupando. Também é nossa preocupação a vinda de profissionais estrangeiros para o Brasil. Esses assuntos são de suma importância e é por isso que estamos aqui nesta reunião, ouvindo todos os países que integram a Upadi. O Sistema Confea/Crea deve acompanhar este assunto para tomar uma direção num mundo que hoje é global.” – Conselheiro federal, engenheiro agrônomo Daniel Antônio Salati Marcondes, durante a Reunião Inserção Internacional do Sistema Confea/Crea, realizada no dia 31 de janeiro de 2015, em São Paulo (SP).

Reunião Inserção Internacional do Sistema Confea/Crea, São Paulo (SP)

“Esta reunião é muito relevante e o Confea marca uma posição extremamente importante perante seus parceiros nas Américas Latina e do Sul, na medida em que permite estabelecer regras e fazer um entendimento mais apurado das relações comerciais, institucionais já executadas via Mercosul. Agora resta aos conselhos profissionais tomarem decisões bilaterais e multilaterais para fazer com que os profissionais possam se movimentar prestando serviços em todo o Mercosul. Neste caso, deve ser levado em consideração algo que consideramos de extrema importância: a reciprocidade, em qualquer instância e em qualquer país. Este evento é um ponto alto do ano, começamos o ano muito bem e espero que esse assunto se desenrole o mais rápido possível porque hoje somos 2 milhões de profissionais na América do Sul, e esses profissionais esperam por decisões rápidas.” – Conselheiro federal suplente, engenheiro eletricista Antônio Roberto Martins, durante a Reunião Inserção Internacional do Sistema Confea/Crea, realizada no dia 31 de janeiro de 2015, em São Paulo (SP).

Reunião Inserção Internacional do Sistema Confea/Crea, São Paulo (SP)

“A realização desta reunião é de vital importância para os conselheiros do Confea, para que possamos ser informados dos assuntos relativos à inserção internacional do Sistema. Também é uma oportunidade de conhecermos as questões que estão tramitando na Comissão de Agrimensura, Agronomia, Arquitetura, Geologia e Engenharia para o Mercosul, e que são questões muito importantes para a definição de regras para circulação de profissionais pelas Américas. Precisamos estar a par desses assuntos, que são de nossa responsabilidade e que demandam soluções.” – Conselheiro federal, engenheiro mecânico Paulo Roberto Viana, durante a Reunião Inserção Internacional do Sistema Confea/Crea, realizada no dia 31 de janeiro de 2015, em São Paulo (SP)

Reunião Inserção Internacional do Sistema Confea/Crea, São Paulo (SP)

“Nós, conselheiros federais, temos que discutir com representantes de outros países maneiras de efetivar integração, de modo que haja reciprocidade no trânsito de profissionais da área tecnológica. Por isso, esta Reunião Inserção Internacional, promovida pelo Confea, é uma oportunidade interessante para esse diálogo. Além disso, as informações adquiridas aqui vão auxiliar nos trabalhos das Comissões Permanentes do Confea, especialmente na Comissão de Educação e Atribuição Profissional, a qual eu coordeno” – Conselheiro federal, engenheiro mecânico Gustavo Braz, durante a Reunião Inserção Internacional do Sistema Confea/Crea, realizada no dia 31 de janeiro de 2015, em São Paulo (SP).

Reunião Inserção Internacional do Sistema Confea/Crea, São Paulo (SP)

“Esta Reunião Inserção Internacional, organizada pelo Confea, é interessante porque promove a oportunidade de nós, conselheiros federais, podermos conhecer a regulamentação e o exercício profissional em outros países das Américas para verificarmos formas de trabalharmos juntos e, mais do que isso, para que os profissionais brasileiros tenham abertura para trabalhar em outras nações e vice-versa. A reunião é importante ainda porque os conteúdos aqui disseminados irão funcionar como ferramenta para o desenvolvimento dos trabalhos no plenário do Confea.” – Conselheiro federal, engenheiro agrônomo João Francisco dos Anjos, durante a Reunião Inserção Internacional do Sistema Confea/Crea, realizada no dia 31 de janeiro de 2015, em São Paulo (SP).

XVI Feira Internacional de Meio Ambiente Industrial e Sustentabilidade, São Paulo (SP)

 “A parceria com a XVI Feira Internacional de Meio Ambiente Industrial e Sustentabilidade (Fimai) é de extrema importância, pois pôde oferecer uma oportunidade para o Sistema Confea/Crea e Mútua marcar sua presença como o Conselho que regulamenta o maior número de profissionais ligados ao tema meio ambiente industrial e sustentabilidade. Neste evento, é possível oferecer um seminário sobre temas técnicos que interferem diretamente na atividade profissional da área tecnológica. Outra questão importante a ser destacada é que, nestas palestras dentro do Auditório Confea, percebeu-se a grande relevância que a atividade agrícola tem para promover melhorias ao meio ambiente industrial e sustentabilidade. Como análise geral, fica claro que a engenharia, a agronomia, meteorologia, geologia e a geografia estão intrinsecamente ligadas ao tema meio ambiente industrial e sustentabilidade.” – Gumercindo Ferreira, engenheiro de alimentos e coordenador do Colégio de Entidades Nacionais do Sistema Confea/Crea e Mútua, durante a XVI Feira Internacional de Meio Ambiente Industrial e Sustentabilidade (Fimai/Simai).

71ª Semana Oficial da Engenharia e da Agronomia, Teresina (PI)

“A Soea é importante para que as pessoas conheçam inovações não só da engenharia, mas do agronegócio e da economia. Faz com que os novos profissionais que participam fiquem mais bem preparados para o mercado de trabalho. Importante também para a cidade que recebe o evento, pois tem visibilidade nacional por ser um evento já tradicional e respeitado." Sérgio Aparecido Rodrigues profissional da LP Brasil.

71ª Semana Oficial da Engenharia e da Agronomia, Teresina (PI)

“Participei todos os dias e foi ótimo conhecer um pouco de todos os Creas do País. Interessei-me muito pelas palestras e pelo Fórum de Jovens. O evento apresentou uma estrutura muito boa, bem comunicativo e aproveitei também para a troca de informações e fazer networking." Laura Oliveira – estudante de engenharia civil da FSA (Faculdade Santo Agostinho – PI)

71ª Semana Oficial da Engenharia e da Agronomia, Teresina (PI)

“O que mais me chamou a atenção foi a participação do pessoal local. Em outros anos, a visitação é mais das pessoas de fora. Foi agradável ver tantos jovens participando e, principalmente, a presença feminina. É uma mudança de perfil da engenharia e das profissões ligadas ao Crea. Superou as expectativas de participação e houve dificuldade até para entrar nas salas." Ubiratan Félix, engenheiro civil e presidente do Senge-Ba

71ª Semana Oficial da Engenharia e da Agronomia, Teresina (PI)

“A 71ª Semana Oficial da Engenharia e da Agronomia foi boa. Não esperava tanta gente, mas a organização atendeu. Foi um encontro de alto nível, com boas palestras, como a de Ozires Silva. Acho que todo mundo saiu satisfeito. Estarei em Fortaleza no ano que vem.”  Gilberto Nogueira – engenheiro agrônomo (Paraíba)

71ª Semana Oficial da Engenharia e da Agronomia, Teresina (PI)

“Foi muito importante para nós estudantes entrarmos em contato com profissionais experientes de todo o País. Ajudou-nos a ter uma noção muito maior das profissões, aumentando nossa motivação. Foi um evento de conhecimento e foi tão procurado que o espaço acabou sendo pequeno. Saí agora de uma palestra sobre robótica e os novos recursos e estou muito contente com a experiência que tive aqui." Sérgio Mateus – estudante de engenharia Mecânica da UFPI 

71ª Semana Oficial da Engenharia e da Agronomia, Teresina (PI)

“Participo desde 2004 da Semana Oficial da Engenharia e da Agronomia (Soea) e o evento deste ano mostrou que é possível, sim, realizar a semana em capitais de menor porte, como foi Teresina. A cidade não tinha a estrutura necessária para reunir 4 mil pessoas, mas, no final,  tudo deu certo, mesmo tendo que vir táxis de outras cidades próximas. Achei interessante a participação nas palestras e, particularmente, achei importante o Fórum sobre Equidade de Gênero, que teve mais de 2,5 mil participações." Socorro Seabra – engenheira civil e diretora da Mútua-PI

71ª Semana Oficial da Engenharia e da Agronomia, Teresina (PI)

“A engenharia brasileira é fundamental para o desenvolvimento do País e a Semana Oficial da Engenharia e da Agronomia (Soea) é o momento ideal para os engenheiros trocarem experiências”. Luiz Oswaldo Aranha, assessor da presidência de Furnas e ex-presidente da ABEE.

Encontro Nacional da Engenharia Química, Brasília (DF)

“Esse primeiro dia foi de sucesso. As discussões foram bastante envolventes, os temas de debates foram exatamente o que a coordenadoria nacional e as associações envolvidas na modalidade de engenharia química aguardavam de seus participantes. Os conselheiros que aqui estão, estão de parabéns, ofereceram contribuição extremamente rica. O debate com os advogados trouxe muito subsídio para que eles possam escrever uma carta bastante coesa sobre a modalidade engenharia química no Sistema Confea/Crea. Esse sombreamento com o Conselho Federal de Química é extremamente prejudicial pro profissional que está no mercado de trabalho. Muitos têm o registro nos dois conselhos, o que gera um prejuízo financeiro pros profissionais, e esse sombreamento muitas vezes provoca a confusão de o que é engenharia, ele coloca em risco a sociedade civil. Ele prejudica a sociedade, ele fere o código de defesa do consumidor e ele fere o nosso código civil colocando em risco pessoas inocentes que usam produtos provenientes das indústrias da engenharia." Engenheiro de alimentos e coordenador do Colégio de Entidades Nacionais, Gumercindo Ferreira, durante o Encontro Nacional da Engenharia Química – Reunião dos Conselheiros Federais e Regionais da modalidade Engenharia Química do Sistema Confea/Crea e Mútua, realizado em Brasília em 2 e 3 de junho.


Encontro Nacional da Engenharia Química, Brasília (DF)

“Fui chamado para o Encontro Nacional de Engenharia Química a convite do presidente do Confea, eng. civ. José Tadeu, por eu ser engenheiro químico e porque nós já demos muitas ideias para o Crea e para o Confea a respeito da nossa situação, e ao mesmo tempo por nós termos em nossa cidade uma escola de engenharia química pela qual eu também sou formado, que hoje faz parte da USP, Universidade de São Paulo. Fui chamado para externar essas ideias, ajudando a complementar esse trabalho que pela primeira vez foi feito. Eu já tenho 39 anos de formado, e pela primeira vez o Sistema se manifestou chamando as profissões individuais para que a gente pudesse sugerir ideias para melhorar nossa atividade profissional. A ideia é também dar subsídios para melhorar a fiscalização. Então nós vamos sair daqui com uma proposta do Crea pra que a fiscalização da atividade do engenheiro químico seja mais precisa, seja melhor, mais eficiente e venha nos ajudar. Com isso, todos ganham.” Engenheiro químico e presidente da Associação dos Engenheiros e Arquitetos de Lorena, Celso Luís Giampá, durante o Encontro Nacional da Engenharia Química – Reunião dos Conselheiros Federais e Regionais da modalidade Engenharia Química do Sistema Confea/Crea e Mútua, realizado em Brasília em 2 e 3 de junho.


Encontro Nacional da Engenharia Química, Brasília (DF)

“Participo do Sistema há cerca de 15 anos como conselheiro do Rio Grande do Sul na modalidade de engenharia química. Nesse tempo, que eu fui coordenador na câmara especializada nunca houve apoio direto da presidência do Confea para tentar solucionar o sombreamento de atribuições profissionais que existe com outros conselhos de classe. A engenharia química tem conflito bem grande há anos com o conselho de química. Eu acho que o Encontro Nacional de Química é importante porque está tendo apoio da presidência do Confea. Antes se restringia ao debate regional e a gente sempre ficava na expectativa que alguma ação concreta fosse realizada. Simplesmente há uma renovação dos conselheiros e então a gente pelo menos fica satisfeito porque tem mais gente se preocupando em tentar resolver o problema. Na realidade, a gente tem constatado que o que falta é uma aproximação maior do Sistema com o meio acadêmico, especificamente os estudantes de nível de graduação que desconhecem totalmente qual a finalidade do Sistema. Então realmente acho que falta essa aproximação e justamente aqui neste debate procuramos delinear ações que visem aproximar cada vez mais as instituições de ensino com o conselho de classe. Dentro dessa linha, estão sendo propostas ações que serão levadas ao presidente do Confea, ao engenheiro Tadeu, e se ele realmente der o apoio, a gente incentivar para que essas ações se concretizem nos diversos Creas.” Engenheiro químico, conselheiro do Crea-RS representante da Associação Profissional de Engenheiros Químicos, Nilson Romeu Marcílio, durante o Encontro Nacional da Engenharia Química – Reunião dos Conselheiros Federais e Regionais da modalidade Engenharia Química do Sistema Confea/Crea e Mútua, realizado em Brasília em 2 e 3 de junho.

Encontro Nacional da Engenharia Química, Brasília (DF)

“Para nós, o Encontro Nacional de Engenharia Química é muito bom; é um passo muito grande porque essa área sempre foi um pouco esquecida no Sistema, e agora a gente está resgatando isso. Faz uns três anos, na verdade, que esse movimento já vem vindo cada vez mais. E quanto mais a gente aumenta a fiscalização na área da engenharia química, mais importante a gente vai ser para o Sistema Confea/Crea. Então para nós isso é muito bom. Nós na coordenadoria nacional estamos desenvolvendo cartilha e manual de fiscalização para facilitar para os agentes estarem fiscalizando empresas químicas, porque é mais difícil você estar fiscalizando na modalidade química do que na engenharia civil que tem placa. Essa cartilha vai auxiliar o fiscal a como encontrar uma empresa química e como fazer a diligência dentro da empresa. Vamos facilitar o serviço dos fiscais nesse aspecto.” Engenheira de alimentos, conselheira do Crea-SP representante da Associação Barretense de Engenharia e Arquitetura e Agronomia, Letícia Girardi, durante o Encontro Nacional da Engenharia Química – Reunião dos Conselheiros Federais e Regionais da modalidade Engenharia Química do Sistema Confea/Crea e Mútua, realizado em Brasília em 2 e 3 de junho.

Encontro Nacional da Engenharia Química, Brasília (DF)

"Esse encontro traz para a nossa modalidade, uma importante contribuição no aspecto relacionamento com as instituições de ensino, para a revitalização das câmaras especializadas de Engenharia Química em todos os Creas e principalmente para avançar com a fiscalização da modalidade e a discussão de nossos sombreamentos com outros Conselhos. Se a gente conseguir perenizá-lo no Sistema, esse Encontro trará avanços muito importantes na discussão dos nossos problemas nacionais. Estamos vendo que está havendo uma mudança muito grande dos cursos da modalidade Engenharia Química. Os currículos mudam, as grades mudam e as competências mudam, e, certamente, o Sistema Confea/Crea não pode ficar distante disso. Queremos avançar principalmente na problemática que envolve o atual registro dos engenheiros no Sistema, e o conflito de interesses com outros conselhos de classe. Destacamos a aproximação com instituições de ensino, melhoria do sistema de fiscalização da modalidade e, principalmente, uma tentativa de aproximação com o Ministério da Educação para que a gente consiga trabalhar em sintonia na formação dos egressos."

Engenheiro de alimentos Carlos Alberto Anjos, coordenador nacional das Câmaras Especializadas de Engenharia Química, durante o Encontro Nacional da Engenharia Química – Reunião dos Conselheiros Federais e Regionais da modalidade Engenharia Química do Sistema Confea/Crea e Mútua, realizado em Brasília em 2 e 3 de junho.

Encontro Nacional da Engenharia Química, Brasília (DF)

"Nós fizemos uma proposta em que estaríamos solicitando ao Confea um assessoramento jurídico específico para tratar destas nossas questões. Esse assessoramento jurídico trabalharia em conjunto com a coordenadoria nacional das Câmaras Especializadas de Engenharia Química para tentar resolver as questões jurídicas por trás deste conflito entre o Confea e o Conselho de Química. O grande ganho é que o profissional vai ser enquadrado no Conselho pelo qual ele foi formado, ou seja, os engenheiros da modalidade química estariam filiados ao Sistema Confea/Crea, e os profissionais da Química seriam valorizados dentro do conselho respectivo deles. Isso valorizaria as duas profissões que têm similaridades, mas têm caracteres diferenciados."

Engenheira química Maria Helena Caño de Andrade, coordenadora da Câmara Especializada de Engenharia Química do Crea-MG, durante o Encontro Nacional da Engenharia Química – Reunião dos Conselheiros Federais e Regionais da modalidade Engenharia Química do Sistema Confea/Crea e Mútua, realizado em Brasília em 2 e 3 de junho.

Encontro Nacional da Engenharia Química, Brasília (DF)

"Acho interessante a difusão da participação de todos conselheiros em um evento único porque aí dividimos a responsabilidade de trilhar o futuro da nossa modalidade dentro do Sistema. Nas reuniões da Coordenadoria das Câmaras, ficamos limitados aos coordenadores apenas, e aqui todos os coordenadores dos Creas também podem contribuir nas decisões que vão trilhar o futuro da nossa modalidade. A modalidade engenharia química é uma das mais complexas de serem fiscalizadas dentro do Sistema. Então, a gente tenta alinhar as fiscalizações de todas as 27 unidades da federação, o que não é muito fácil, até porque nem todos os estados possuem câmara de química, então alguns não compartilham de informações traçadas nesses encontros. E a fiscalização é a alma do nosso Sistema, é ela que defende o espaço dos nossos profissionais no mercado de trabalho."

Engenheiro de materiais Felipe Formiga, conselheiro do Crea-RN e representante do Sindicato dos Engenheiros do Estado do Rio Grande do Norte, durante o Encontro Nacional da Engenharia Química – Reunião dos Conselheiros Federais e Regionais da modalidade Engenharia Química do Sistema Confea/Crea e Mútua, realizado em Brasília nos dias 2 e 3 de junho.

Abertura do Encontro Nacional da Engenharia Civil, em Maceió (AL)

“Desde o início da criação da Frente Parlamentar em Defesa da Engenharia e Agronomia houve a participação do Confea e temos conseguido resultados efetivos. Estamos acompanhando de perto matérias que tratam, por exemplo, da federalização do plenário do Confea, do exercício ilegal da profissão, do salário mínimo, do aperfeiçoamento e valorização profissional, da manutenção predial. Recentemente nos manifestamos contra a MP 630, que trata do Regime Diferenciado de Contratações Públicas (RDC). Esse modelo de contratação coloca em risco o planejamento, a qualidade e a segurança de projetos e obras. Estamos efetivamente trabalhando e estamos atentos a todos os assuntos relacionados ao Sistema. Temos nos mobilizado e sido um instrumento no Congresso Nacional para desenvolver esse trabalho. Mas esse trabalho não é só da Frente Parlamentar. É dos senhores também que têm uma importância muito grande em seus estados. Conversem com senadores e deputados estaduais em prol da causa que estamos defendendo, pois a Engenharia é fundamental para que o Brasil se torne o país que queremos. E somente a Engenharia tornará isso possível.”

Deputado federal e presidente da Frente Parlamentar, eng. civ. Augusto Coutinho (SD/PE), durante solenidade de abertura do Encontro Nacional da Engenharia Civil – Reunião dos Conselheiros Federais e Regionais da modalidade Engenharia Civil do Sistema Confea/Crea e Mútua, realizado em Maceió entre 18 e 20 de maio.

Abertura do Encontro Nacional da Engenharia Civil, em Maceió (AL)

“Não faltam profissionais no mercado nacional, nem precisamos de profissionais estrangeiros. Há necessidade, sim, de investimento em planejamento e capacitação no País. É urgente também a atualização da Lei nº 5.194/66. Por isso, contamos com o apoio da bancada legislativa para modernizar essa lei, bem como a do salário mínimo e dar celeridade à aprovação da legislação que torna crime o exercício ilegal da profissão.”

Presidente do Conselho Regional de Engenharia e Agronomia de Alagoas (Crea-AL), eng. civ. Roosevelt Patriota, durante solenidade de abertura do Encontro Nacional da Engenharia Civil – Reunião dos Conselheiros Federais e Regionais da modalidade Engenharia Civil do Sistema Confea/Crea e Mútua, realizado em Maceió entre 18 e 20 de maio.


Abertura do Encontro Nacional da Engenharia Civil, em Maceió (AL)

“Vamos fazer as reuniões em forma de assembleia para discutir projetos de lei que dizem respeito aos profissionais do Sistema Confea/Crea e Mútua, evitando, por exemplo, o sombreamento de atribuições. Vamos defender nossas profissões. Vamos também discutir a educação e as diretrizes curriculares da Engenharia, em prol da melhoria do ensino.”

Conselheiro federal, coordenador do Encontro e presidente da Associação Brasileira dos Engenheiros Civis (Abenc), eng. civ. Francisco José Ladaga, durante solenidade de abertura do Encontro Nacional da Engenharia Civil – Reunião dos Conselheiros Federais e Regionais da modalidade Engenharia Civil do Sistema Confea/Crea e Mútua, realizado em Maceió entre 18 e 20 de maio.

Abertura do Encontro Nacional da Engenharia Civil, em Maceió (AL)

“Neste momento único e dedicado à discussão do Sistema, poderemos trabalhar em conjunto e em prol da área tecnológica. Aqui poderemos falar e ser ouvidos, nós que estamos nos estados precisamos nos manifestar ao Confea, representando todos os profissionais do Sistema. Desejo, portanto, que os debates aqui sejam exaustivos e que resultem em boas propostas.” 

Coordenador do Colégio de Entidades Nacionais (Cden), eng. alim. Gumercindo Ferreira, durante solenidade de abertura do Encontro Nacional da Engenharia Civil – Reunião dos Conselheiros Federais e Regionais da modalidade Engenharia Civil do Sistema Confea/Crea e Mútua, realizado em Maceió entre 18 e 20 de maio.


Abertura do Encontro Nacional da Engenharia Civil, em Maceió (AL)

“Assuntos para discutir não faltam. Neste Encontro Nacional da Engenharia Civil, teremos que debater, por exemplo, a valorização profissional e a tecnologia. Temos que tratar também da Resolução 1010/2005, pois devemos uma resposta às instituições de ensino, que tanto nos cobram a atualização desse normativo.”

Coordenador do Colégio de Presidentes (CP) e presidente do Crea-SE, eng. civ. Jorge Roberto Silveira, durante solenidade de abertura do Encontro Nacional da Engenharia Civil – Reunião dos Conselheiros Federais e Regionais da modalidade Engenharia Civil do Sistema Confea/Crea e Mútua, realizado em Maceió entre 18 e 20 de maio.


Abertura do Encontro Nacional da Engenharia Civil, em Maceió (AL)

“A engenharia tem muito a contribuir para a política do País. Precisamos da coragem da participação política, e nós profissionais da engenharia temos muita base para a participação política. Todos os projetos carregam consigo uma visão de desenvolvimento. Somos os construtores do País”. 

Conselheiro estadual e ex-presidente do Sindicato dos Engenheiros e do Conselho Regional de Engenharia e Agronomia de Alagoas, o deputado estadual e eng. civ. Judson Cabral (PT-AL), durante solenidade de abertura do Encontro Nacional da Engenharia Civil – Reunião dos Conselheiros Federais e Regionais da modalidade Engenharia Civil do Sistema Confea/Crea e Mútua, realizado em Maceió entre 18 e 20 de maio. 


Abertura do Encontro Nacional da Engenharia Civil, em Maceió (AL)

“É importante fazermos eventos dessa magnitude. Não falamos mais em nome da Mútua, do Crea ou do Confea. O evento é um exemplo para debatermos a ética, o exercício profissional, a fiscalização. Temos que debater todos estes temas, contando com o apoio do deputado federal e coordenador da Frente Parlamentar em Defesa da Engenharia e Agronomia, eng. civ. Augusto Coutinho, para que mudemos a nossa legislação e não continuemos engessados. Precisamos desengessar o Sistema”. 

Presidente da Mútua Caixa de Assistência, eng. agr. Cláudio Calheiros, durante solenidade de abertura do Encontro Nacional da Engenharia Civil – Reunião dos Conselheiros Federais e Regionais da modalidade Engenharia Civil do Sistema Confea/Crea e Mútua, realizado em Maceió entre 18 e 20 de maio.


Abertura do Encontro Nacional da Engenharia Civil, em Maceió (AL)

“Aproveitemos esta oportunidade de dois dias de muito trabalho para diagnosticar e apresentar soluções aos desafios da Engenharia Civil e apontar as oportunidades. Temos que ser maduros para tratarmos em regime de assembleia as proposições neste momento em que o País tanto precisa de planejadores. Planejar é nossa função principal.” 

Coordenador nacional das Câmaras Especializadas de Engenharia Civil (CCEEC), eng. civ. Luiz Capraro, durante solenidade de abertura do Encontro Nacional da Engenharia Civil – Reunião dos Conselheiros Federais e Regionais da modalidade Engenharia Civil do Sistema Confea/Crea e Mútua, realizado em Maceió entre 18 e 20 de maio. 


3º ENCONTRO DE LÍDERES REPRESENTANTES DO SISTEMA CONFEA/CREA E MÚTUA

“Um dos objetivos da Coordenadoria de Câmara é o aumento gradativo das câmaras de engenharia de segurança do trabalho. O outro seria fortalecer as nossas associações de classe nos estados. Desejamos que os Creas façam parceria com órgãos públicos, como principalmente o Corpo de Bombeiros, em decorrência dessa avalanche de acidentes e de incêndios que ocorreram no país, e principalmente em nosso Estado, no caso da boate Kiss.”

Coordenador nacional da Coordenadoria Especializada de Segurança do Trabalho (CCEEST), Nelson Burille (Crea-RS), durante o 3º Encontro de Líderes Representantes do Sistema Confea/Crea.

3º ENCONTRO DE LÍDERES REPRESENTANTES DO SISTEMA CONFEA/CREA E MÚTUA

“Dentro do plano de trabalho da câmara deste ano, estão previstas parcerias com o Ministério do Trabalho, Inmetro (Instituto Nacional de Metrologia, Qualidade e Tecnologia), e com o Contran (Conselho Nacional de Trânsito). São propostas relacionadas aos vasos de pressão e às caldeiras, enfim, trabalhos relativos à área industrial que têm outras modalidades que estão sendo inseridas e disputando mercado com o pessoal da industrial. Também temos que fazer os normativos de parques de diversões e rever o nosso plano de fiscalização nacional.”


Coordenadora nacional da Coordenadoria Especializada de Engenharia Industrial, Sandra Ascari (Crea-SC), durante o 3º Encontro de Líderes Representantes do Sistema Confea/Crea.

3º ENCONTRO DE LÍDERES REPRESENTANTES DO SISTEMA CONFEA/CREA E MÚTUA

“Nossas discussões estão pautadas em função de montarmos as propostas que vão nortear a Câmara de Engenharia Civil durante este ano de 2014. A proposta é o nivelamento do tratamento de tudo que diz respeito à atividade profissional de engenharia civil dentro do país. Essa é a nossa principal proposta.”

Coordenador nacional da Coordenadoria Especializada de Engenharia Civil, Luís Capraro (Crea-PR), durante o 3º Encontro de Líderes Representantes do Sistema Confea/Crea.  

3º ENCONTRO DE LÍDERES REPRESENTANTES DO SISTEMA CONFEA/CREA E MÚTUA

“Os desafios principais para 2014 estão fortemente ligados à expansão e ao planejamento do setor elétrico. Desafios também no setor de telecomunicações. Temos gargalos nesses dois setores. Então estamos propondo e vamos colocar como plano de trabalho uma aproximação com órgãos reguladores, como Aneel e Anatel, e em prol do desenvolvimento do país nesse sentido. Para colocarmos a engenharia elétrica à disposição desses órgãos e discutirmos o desenvolvimento. Também é fundamental a aproximação com os governos estaduais e municipais, a fim de valorizar o profissional da engenharia elétrica. Isso faz com que o engenheiro eletricista, ou o próprio técnico da modalidade eletricista, perceba mais que o Sistema está a favor dele. Um outro trabalho interessante que vamos propor para 2014 é a aproximação com as instituições de ensino, porque os egressos estão aí, e a gente quer que estes profissionais percebam que o Sistema está próximo.”

Coordenador nacional da Coordenadoria Especializada de Engenharia Elétrica, Sérgio Luís Cequinel Filho (Crea-PR), durante o 3º Encontro de Líderes Representantes do Sistema Confea/Crea.  

3º ENCONTRO DE LÍDERES REPRESENTANTES DO SISTEMA CONFEA/CREA E MÚTUA

“A agronomia é uma modalidade muito ampla no sistema profissional, envolve várias profissões, e envolve áreas de grande importância socioeconômica e ambiental para o país. Os 27 coordenadores de agronomia estão discutindo os grandes assuntos, como a questão da implementação do Código Florestal, da política de resíduos sólidos, a questão da assistência técnica e assistência rural, segurança alimentar. Então vamos priorizar alguns temas que são de grande relevância para a sociedade.”


Coordenador nacional da Coordenadoria Especializada de Agronomia, Kleber Santos (Crea-DF), durante o 3º Encontro de Líderes Representantes do Sistema Confea/Crea.  

3º ENCONTRO DE LÍDERES REPRESENTANTES DO SISTEMA CONFEA/CREA E MÚTUA

“A nossa Câmara é uma câmara jovem, ela está iniciando no seu segundo ano agora, então o nosso desafio maior é implantar as câmaras regionais, porque nós até hoje temos apenas quatro câmaras implantadas no Brasil. Então são muitas a buscar. Então implantando essas câmaras regionais nós nos fortaleceremos para seguir melhorando a nossa representatividade nacional. Nosso maior desafio é esse. E agora, criada a Câmara, nós precisamos fazer os ajustes necessários para que ela funcione perfeitamente fortalecendo o Sistema.”

Coordenador nacional da Coordenadoria Especializada de Engenharia Florestal, Gilberto Fenetti (Crea-SC), durante o 3º Encontro de Líderes Representantes do Sistema Confea/Crea.

3º ENCONTRO DE LÍDERES REPRESENTANTES DO SISTEMA CONFEA/CREA E MÚTUA

“O desafio da Comissão de Ética para 2014 é dar continuidade às ações que já foram iniciadas em 2013. Criar um mecanismo de assessoramento aos Creas, para resolver as dúvidas de maneira simples e rápida.”

Coordenadora nacional das Comissões de Ética dos Creas (CNCE), Rosicler Maria Vanti (Crea-SC), durante o 3º Encontro de Líderes Representantes do Sistema Confea/Crea.

3º ENCONTRO DE LÍDERES REPRESENTANTES DO SISTEMA CONFEA/CREA E MÚTUA

“A expectativa é que, neste ano, o Colégio de Entidades Nacionais (Cden) consiga aprovar seu novo regimento no plenário do Confea, a fim de contemplar os desejos das entidades. É bom destacar para neste ano temos algo muitíssimo importante, que é o aumento da verba para o convênio com as entidades de classe. Tivemos um reajuste na ordem de mil por cento em liberação de verbas para convênios, o que vai dar uma condição muito favorável para as entidades se manterem e desenvolverem o trabalho de valorização profissional.”

Coordenador do Colégio de Entidades Nacionais (Cden), engenheiro de alimentos Gumercindo Ferreira da Silva, da Associação Brasileira de Engenheiros de Alimentos (Abea), durante o 3º Encontro de Líderes Representantes do Sistema Confea/Crea.

3º ENCONTRO DE LÍDERES REPRESENTANTES DO SISTEMA CONFEA/CREA E MÚTUA

“Neste ano, no Colégio de Presidentes, vamos tentar uniformizar os procedimentos dos Conselhos Regionais de Engenharia e Agronomia (Creas) e democratizar as ações. Queremos valorizar, fazer com que o CP seja uma entidade política e, acima de tudo, construtiva.”

Coordenador do Colégio de Presidentes, presidente do Crea-SE e engenheiro civil Jorge Roberto da Silveira, durante o 3º Encontro de Líderes Representantes do Sistema Confea/Crea.

80 ANOS DO SISTEMA CONFEA/CREA

“Nessas oito décadas, fiscalizar o exercício ilegal das profissões do Confea constitui um dos pilares de uma história edificada sobre a defesa intransigente da ética, da valorização e da legislação profissional, esta última em permanente processo de revisão, democratização e modernização, a favor de maior qualidade e segurança para a sociedade brasileira. Esses são os nossos princípios de atuação, são pilares comuns à maioria dos conselhos profissionais, criados desde o Estado Novo, pelo presidente Getúlio Vargas, até tempos recentes.”

Presidente do Confea, engenheiro civil José Tadeu, durante a sessão solene na Câmara dos Deputados em homenagem aos 80 anos do Sistema Confea/Crea

80 ANOS DO SISTEMA CONFEA/CREA

“São oito décadas de regulamentação das atividades da área tecnológica, voltadas para realizações de interesse social e humano, que caracterizam o exercício das nossas profissões. A sessão solene na Câmara dos Deputados, neste 11 de dezembro, será uma oportunidade de chamar atenção do Legislativo para os assuntos prioritários do setor que funcionarão como caminhos para a atualização dos marcos regulatórios. Será possível também demonstrar à sociedade o esforço do Sistema Confea/Crea em avançar com eficiência e qualidade, nos próximos 80 anos, rumo ao atendimento das demandas nas áreas de infraestrutura, saneamento, meio ambiente, tecnologia, agricultura ou pesquisas científicas. Porque tudo isso está relacionado à área tecnológica”.

Presidente do Confea, engenheiro civil José Tadeu da Silva

XXVIII CONGRESSO BRASILEIRO DE AGRONOMIA

“Temos que admitir que existem vários tipos de agricultura e trabalhar com essa realidade. O agrônomo que lida diretamente com o produtor e o técnico tem que alcançar o consumidor a fim de que os orgânicos ganhem mais espaço na mesa do brasileiro. Temos que levar assistência técnica gratuita para o pequeno e médio produtor a fim de agregar valor aos nossos produtos. Eles têm que ter acesso à informação e a mecanismos que garantam qualidade à produção."

Ailena Salgado, superintendente regional do Ministério da Agricultura, durante palestra no XXVIII Congresso Brasileiro de Agronomia

IMPORTÂNCIA DA ENGENHARIA PARA O DESENVOLVIMENTO PROFISSIONAL

"Independentemente das nossas dificuldades e problemas e das manifestações nas ruas, o cenário atual e o fato de o Brasil sediar a Copa do Mundo e os Jogos Olímpicos representam conquistas importantes para o país que têm a engenharia brasileira absolutamente presente. Os engenheiros brasileiros têm muito boa formação, ninguém precisou importar profissional para fazer as coisas que nós fazemos. Se existe uma categoria que tem uma formação ecumênica – do ponto de vista acadêmico – somos nós!"

Delcídio do Amaral, engenheiro eletricista e senador pelo PT/MS

PRODUÇÃO MUNDIAL DE ALIMENTOS

"Nós já temos tecnologia. O problema está na adoção dessas tecnologias. Há necessidade de maior assistência técnica, ou seja, trabalhar a inovação com os produtores. Temos que fazer as duas coisas: ensinar a pescar, mas dar o peixe também. As populações são vulneráveis e a alimentação é um direito humano, é uma obrigação dos governos fornecer alimentação à população."

Alan Jorge Bojanic, representante da FAO no Brasil, durante a abertura da 1ª Reunião dos Conselheiros Federais, Conselheiros Regionais e Profissionais da Agronomia, do Sistema Confea/Crea e Mútua

ÉTICA NAS RELAÇÕES HUMANAS, POLÍTICAS E PROFISSIONAIS

“O fato é que a ética leva o indivíduo a um estado de centralidade, a ter orgulho de si mesmo e a ter uma personalidade bem formada que, do individual, passa para o coletivo. A sociedade se sente lastreada em valores de regras de conteúdo moral, como probidade, honestidade, decoro, boa fé e sinceridade. Quem ocupa o poder tem que ter o pudor de não usá-lo desonestamente. Ética na política é vergonha na cara - o conceito tem que ser radical e é isso o que explica as manifestações de rua do povo."

Carlos Ayres Britto, ex-presidente do Supremo Tribunal Federal (STJ), durante palestra na 70ª Semana Oficial da Engenharia e da Agronomia (Soea)

EXCELÊNCIA DA ENGENHARIA BRASILEIRA

"Expressamos a nossa disposição para que o Brasil, além do legado de infraestrutura da Copa do Mundo de 2014 e das Olimpíadas de 2016, deixe também para as gerações futuras um legado com a marca de gestão pública competente e eficiente."

Presidente do Confea, engenheiro civil José Tadeu da Silva, em artigo sobre a excelência da engenharia brasileira

ENTIDADES DE CLASSE DO SISTEMA CONFEA/CREA E MÚTUA

“As entidades de classe precisam assumir a função fiscalizadora e cobrar ações e posturas das prefeituras. Elas devem ocupar os seus espaços próprios, seja no Conselho de Segurança, seja no Conselho de Saúde ou de qualquer outro. É necessário estar presente e atuante. Queremos que as entidades sejam braços de apoio dos Creas em cada município, contemplando também os anseios dos profissionais."

Eng. alim. Gumercindo Ferreira da Silva, coordenador do Colégio de Entidades Nacionais (Cden)

SEMINÁRIO NACIONAL DE OUVIDORES

“É de suma importância a harmonização da utilização dos procedimentos nos Regionais para que haja padronização no modo de atuar. Esse evento é importante para que possamos saber mais sobre a realidade dos outros conselhos regionais.”

Ramiro Filho, representante do Crea-DF no IV Seminário Nacional de Ouvidores do Sistema Confea/Crea e Mútua, realizado na sede do Confea, em outubro de 2013

SEMINÁRIO NACIONAL DE OUVIDORES

“Esse encontro é de suma importância porque permite o intercâmbio para aprimoramento do trabalho. O evento é fundamental para atualização profissional e para os procedimentos.”

Raimundo Nonato, representante do Crea-PB no IV Seminário Nacional de Ouvidores do Sistema Confea/Crea e Mútua, realizado na sede do Confea, em outubro de 2013

SEMINÁRIO NACIONAL DE OUVIDORES

“O encontro reflete uma ansiedade que nós profissionais tínhamos em compartilhar as rotinas e procedimentos com outras equipes técnicas, principalmente em relação à padronização.” 

Isabelle Nani Regis, representante do Crea-SC no IV Seminário Nacional de Ouvidores do Sistema Confea/Crea e Mútua, realizado na sede do Confea, em outubro de 2013

VANTAGENS DA ENERGIA EÓLICA PARA O BRASIL

“A energia eólica é uma fonte renovável, causa pouco impacto ambiental e agrega receita para os proprietários de fazendas onde os parques são instalados. O país dispõe de grande potencial hidrelétrico e de baixo custo; enquanto o custo da energia eólica é alto."

Ronaldo Custódio, engenheiro eletricista, durante o lançamento do livro “Energia eólica para produção de energia elétrica”, na 70ª Semana Oficial da Engenharia e da Agronomia (Soea)



SEPN 508 - Bloco A,
Ed. Confea - Engenheiro Francisco Saturnino de Brito Filho
CEP: 70.740-541 - Brasília, DF
Telefone Geral: (61) 2105-3700

- Contatos | Politica de privacidade | Todos os direitos reservados